Revoltas Emancipacionistas no Brasil Colonial - 25 Exercícios com gabarito

01. (FUVEST) O ideário da Revolução Francesa, que entre outras coisas defendia o governo representativo, a liberdade de expressão, a liberdade de produção e de comércio, influenciou no Brasil a Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana, porque: 
a) cedia às pressões de intelectuais estrangeiros que queriam divulgar suas obras no Brasil. 
b) servia aos interesses de comerciantes holandeses aqui estabelecidos que desejavam influir no governo colonial. 
c) satisfazia aos brasileiros e aos portugueses, que desta forma conseguiram conciliar suas diferenças econômicas e políticas. 
d) apesar de expressar as aspirações de uma minoria da sociedade francesa, aqui foi adaptado pelos positivistas aos objetivos dos militares. 
e) foi adotado por proprietários, comerciantes, profissionais liberais, padres, pequenos lavradores, libertos e escravos, como justificativa para sua oposição ao absolutismo e ao sistema colonial. 

02. (MACKENZIE) "A coalizão de magnatas comprometidos com a revolução mineira não era monolítica, tendo na multiplicidade de motivações e de elementos envolvidos uma debilidade potencial. Os magnatas esperavam alcançar seus objetivos sob cobertura de um levante popular".
(Kenneth Maxwell - "A devassa da devassa"). 

Assinale a interpretação correta sobre o texto referente à Inconfidência Mineira. 

a) A Inconfidência Mineira era um movimento de elite, com propostas sociais indefinidas e que pretendia usar a derrama como pretexto para o levante popular. 
b) O movimento mineiro tinha sólido apoio popular e eclodiria com a adesão dos dragões: a polícia local. 
c) Os envolvidos não tinham motivos pessoais para aderir à revolta, articulada em todo o país através de seus líderes. 
d) A conspiração entrou na fase da luta armada, sendo derrotada por tropas metropolitanas. 
e) A segurança perfeita e o sigilo do movimento impediram que delatores denunciassem a revolta ao governo. 

03. (UECE) Sobre a Inconfidência Mineira (1789), são feitas as seguintes afirmações:

I. Estava entre os objetivos de boa parte dos conspiradores de Vila Rica, a constituição de um regime republicano no Brasil.
II. Havia, também, por parte dos inconfidentes, a preocupação com o desenvolvimento de produtos manufaturados ou, em outras palavras, objetivavam a diminuição da dependência de artigos importados.
III. A nova capital seria transferida para Belo Horizonte, por encontrar-se localizada numa área mais favorável para a expansão da lavoura e da pecuária.

Assinale o correto.

a) Apenas as afirmações I e II são verdadeiras.
b) Apenas as afirmações I e III são verdadeiras.
c) Apenas as afirmações II e III são verdadeiras.
d) Todas as afirmações são verdadeiras.

04. (PUC-RJ) A Conjuração Mineira (1789) e a Conjuração Baiana (1798) possuem em comum o fato de terem sido movimentos que:

I - evidenciaram a crise do Antigo Sistema Colonial.
II - visavam à emancipação política do Brasil.
III - apresentavam forte caráter popular.
IV - expressavam insatisfações em face da política metropolitana, particularmente desde a queda do Marquês de Pombal.

Assinale:

a) se apenas a afirmativa II estiver correta.
b) se apenas as afirmativas I e IV estiverem corretas.
c) se apenas as afirmativas III e IV estiverem corretas.
d) se apenas as afirmativas I , II e III estiverem corretas.
e) se todas as afirmativas estiverem corretas.

05. (UFMG 2008) Leia este trecho, que contém uma fala atribuída a Joaquim José da Silva Xavier:
“… se por acaso estes países chegassem a ser independentes, fazendo as suas negociações sobre a pedraria pelos seus legítimos valores, e não sendo obrigados a vender escondido pelo preço que lhe dessem, como presentemente sucedia pelo caminho dos contrabandos, em que cada um vai vendendo por qualquer lucro que acha, e só os estrangeiros lhe tiram a verdadeira utilidade, por fazerem a sua negociação livre, e levado o ouro ao seu legítimo valor, ainda ficava muito na Capitania, e escusavam os povos de viver em tanta miséria.”
(Autos de Devassa da Inconfidência Mineira. 2. ed. Brasília: Câmara dos Deputados; Belo Horizonte: Imprensa Oficial de Minas Gerais, 1980. v. 5, p. 117.)

A partir dessa leitura e considerando-se outros conhecimentos sobre o assunto, é CORRETO afirmar que os Inconfidentes Mineiros de 1789:

a)  acreditavam que o contrabando aumentava o valor recebido pelas pedras e ouro, pois dificultava sua circulação.
b)  consideravam que o monopólio comercial explicava por que as regiões de que se compunha Minas Gerais, cheias de pedras e ouro, ficavam mais ricas.
c)  defendiam o livre-comércio, por meio do qual pedras e ouro adquiririam seu real valor, uma vez que seriam vendidos aos estrangeiros legalmente.
d)  pensavam que os estrangeiros poderiam tirar vantagens do livre-comércio das pedras e ouro, visando a aumentar seus lucros.

06. (FUVEST) A Inconfidência Mineira foi um episódio marcado:

a) pela influência dos acontecimentos de julho de 1789, a tomada da Bastilha.
b) pela atitude anti-escravista, consensual entre seus participantes.
c) pelo intuito de acabar com o predomínio da Companhia de Comércio do Brasil.
d) pela insatisfação ante a cobrança do imposto sobre bateias.
e) pelas idéias ilustradas e pela Independência dos Estados Unidos.

07. (FGV) O movimento político organizado na Bahia em 1789 incluía em seu bojo e na sua liderança mulatos e negros livres ou libertos, ligados às profissões urbanas, como artesãos ou soldados, bem como alguns escravos.
"Os conspiradores defendiam a proclamação da República, o fim da escravidão, o livre comércio especialmente com a França, o aumento do salário dos militares, a punição de padres contrários à liberdade. O movimento não chegou a se concretizar, a não ser pelo lançamento de alguns panfletos e várias articulações. Após uma tentativa de se obter o apoio do governador da Bahia, começaram as prisões e delações. Quatro dos principais acusados foram enforcados e esquartejados. Outros receberam penas de prisão ou banimento."
O texto anterior refere-se à:

a) Conjuração dos Alfaiates.
b) Balaiada.
c) Revolução Praieira.
d) Sabinada.
e) Inconfidência Mineira.


08. (UEL) Dentre as rebeliões coloniais, a que marcou o início do processo de emancipação política no Brasil, por questionar a dominação metropolitana na colônia, foi a

a) Revolta de Beckman.
b) Guerra dos Mascates.
c) Guerra dos Emboabas.
d) Inconfidência Mineira.
e) Confederação do Equador.

09. (MACKENZIE) No final do século XVIII, as restrições econômicas de Portugal ao Brasil chegaram ao máximo; o ouro declinava e as idéias liberais difundiam-se pelo país. Tais fatos provocaram um movimento pela independência, acentuadamente popular, com fortes preocupações sociais, conhecido por:

a) Inconfidência Mineira.
b) Guerra dos Mascates.
c) Revolta de Felipe dos Santos.
d) Conjura Literária.
e) Inconfidência Baiana.

10. (UECE) Sobre as influências filosóficas e ideológicas da Inconfidência Mineira (1789), é correto afirmar que:

a) os ideais napoleônicos de ampla extensão da educação básica foram a principal meta de governo dos insurretos
b) o Congresso de Viena foi a principal fonte de inspiração para os inconfidentes brasileiros, que viam os governos da Europa central como as formas mais desenvolvidas de organização política
c) as campanhas de libertação das colônias latino-americanas e o nacionalismo foram as principais matrizes ideológicas da Inconfidência
d) a independência dos EUA e o pensamento liberal e anti-absolutista muito influenciaram os ideais dos inconfidentes brasileiros.

11. (FUVEST) A Inconfidência Mineira, no plano das idéias, foi inspirada

a) nas reivindicações das camadas menos favorecidas da Colônia.
b) no pensamento liberal dos filósofos da Ilustração européia.
c) nos princípios do socialismo utópico de Saint-Simon.
d) nas idéias absolutistas defendidas pelos pensadores iluministas.
e) nas fórmulas políticas desenvolvidas pelos comerciantes do Rio de Janeiro.

12. (UEL) "Rebelião que expressou as contradições do Antigo Sistema Colonial. Teve influência maçônica iluminista, revelou objetivos emancipacionista e republicano. O movimento se diferenciou dos demais pelo caráter social, a igualdade racial declarada nos boletins, e pela participação de elementos provenientes das camadas populares da população (soldados, artesãos, ourives, alfaiates, domésticas, negros escravos e forros)".

O texto refere-se à
a) Balaiada.
b) Conjuração Baiana.
c) Revolta Farroupilha.
d) Confederação do Equador.
e) Guerra dos Mascates.

13. (UNESP-SP) Leia os itens a respeito da Revolução Pernambucana de 1817:

I – Possui forte sentimento antilusitano, resultante do aumento dos impostos e dos grandes privilégios concedidos aos comerciantes portugueses;
II – Teve participação apenas de sacerdotes e militares, não contando com o apoio de outros segmentos da população;
III – Foi uma revolta sangrenta que durou mais de dois meses e deixou profundas marcas no Nordeste, com os combates armados passando do Recife para o sertão, estendendo-se também a Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte;
IV – A Revolta foi sufocada apenas dois anos depois por tropas aliadas, reunindo forças armadas portuguesas, francesas e inglesas;
V – Propunha a República, com a igualdade de direitos e a tolerância religiosa, mas não previa a abolição da escravidão.

É correto apenas o afirmado em:

a) I, II e III.
b) I, III e V.
c) I, IV e V.
d) II, III, IV.
e) II, III, V.

14. (UECE) "Cada hum soldado he cidadão mormente os homens pardos e pretos que vivem escornados, e abandonados, todos serão iguaes, não haverá diferença, só haverá liberdade, igualdade e fraternidade."
                        (Manifesto dirigido ao "Poderoso e Magnífico Povo Bahiense Republicano", em 1798. Cit. por NEVES, Joana e NADAI, Elza. HISTÓRIA DO BRASIL. DA COLÔNIA À REPÚBLICA. 13 ed. São Paulo: Saraiva, 1990. p. 119.)

Assinale a opção que melhor expressa as diferenças entre a Conjuração Baiana e a Inconfidência Mineira:

a) os mineiros eram mais radicais do que os baianos com relação à escravidão, pois defendiam não só liberdade dos negros mas sua participação no governo
b) enquanto em Minas os revoltosos evitavam tocar em questões delicadas como a escravidão, na Bahia a influência da Revolução Francesa era mais marcante
c) a revolta na Bahia foi liderada e apoiada por setores instruídos da população, o que ditou seu tom mais moderado, mas em Minas a população pobre foi às ruas e expulsou as lideranças conciliadoras
d) a influência da Independência dos EUA foi mais intensa na revolta baiana, enquanto que, em Minas, a presença dos ideais franceses foi mais forte.

15. (FUVEST) “Eis que uma revolução, proclamando um governo absolutamente independente da sujeição à corte do Rio de Janeiro, rebentou em Pernambuco, em março de 1817. É um assunto para o nosso ânimo tão pouco simpático que, se nos fora permitido [colocar] sobre ele um véu, o deixaríamos fora do quadro que nos propusemos tratar.” 
F. A. Varnhagen. História geral do Brasil, 1854.

O texto trata da Revolução pernambucana de 1817. Com relação a esse acontecimento é possível afirmar que os insurgentes 

a) pretendiam a separação de Pernambuco do restante do reino, impondo a expulsão dos portugueses desse território. 
b) contaram com a ativa participação de homens negros, pondo em risco a manutenção da escravidão na região. 
c) dominaram Pernambuco e o norte da colônia, decretando o fim dos privilégios da Companhia do Grão-Pará e Maranhão. 
d) propuseram a independência e a república, congregando proprietários, comerciantes e pessoas das camadas populares. 
e) implantaram um governo de terror, ameaçando o direito dos pequenos proprietários à livre exploração da terra.

16. (CFTSC) Entre as tentativas de Emancipação Política ao final do Período Colonial, destaca-se um movimento que ocorre em 1817. Apesar de ter fracassado, foi mais importante que todos os movimentos anteriores, pois ultrapassou a fase da conspiração, e os revoltosos chegaram ao poder. Esse movimento ficou conhecido como... 

a) Revolta de Beckman. 
b) Revolução Pernambucana. 
c) Revolta de Felipe dos Santos. 
d) Revolta de Vila Rica. 
e) Revolução Farroupilha.

17. (UNESP) Leia os itens a respeito da Revolução Pernambucana de 1817.  

I. Possuiu forte sentimento anti-lusitano, resultante do aumento dos impostos e dos grandes privilégios concedidos aos comerciantes portugueses.  
II. Teve a participação apenas de sacerdotes e militares, não contando com o apoio de outros segmentos da população.  
III. Foi uma revolta sangrenta que durou mais de dois meses e deixou profundas marcas no Nordeste, com os combates armados passando de Recife para o sertão, estendendo-se também a Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte.  
IV. A revolta foi sufocada apenas dois anos depois por tropas aliadas, reunindo forças armadas portuguesas, francesas e inglesas.  
V. Propunha a República, com a igualdade de direitos e a tolerância religiosa, mas não previa a abolição da escravidão.  

É correto apenas o afirmado em 

a) I, II e III. 
b) I, III e V. 
c) I, IV e V. 
d) II, III e IV. 
e) II, III e V.

18. (CESGRANRIO) Durante as últimas décadas do século XVIII, a colônia portuguesa na América foi palco de movimentos como a Inconfidência Mineira (1789), a Conjuração do Rio de Janeiro (1794) e a Conjuração Baiana (1798). 

A respeito desses movimentos pode-se afirmar que:

a) demonstravam a intenção das classes proprietárias, adeptas das idéias liberais de seguirem o exemplo da Revolução Americana (1776) e proclamarem a independência, construindo uma sociedade democrática em que todos os homens seriam livres e iguais.
b) expressavam a crise do Antigo Sistema Colonial através da tomada de consciência, por parte de diferentes setores da sociedade colonial, de que a exploração exercida pela Metrópole era contrária aos seus interesses e responsável pelo empobrecimento da Colônia.
c) denunciavam a total adesão dos colonos às pressões da burguesia industrial britânica a favor da independência e da abolição do tráfico negreiro para se constituir, no Brasil, um mercado de consumo para os manufaturados.
d) representavam uma forma de resistência dos colonos às tentativas de recolonização empreendidas, depois da Revolução do Porto, pelas Cortes de Lisboa, liberais em Portugal, que queriam reaver o monopólio  do comércio com o Brasil.
e) tinham cunho separatista e uma ideologia marcadamente nacionalista, visando à libertação da Colônia da Metrópole e à formação de um Império no Brasil através da união das várias regiões até então desunidas.

19. (UEL) A Inconfidência Mineira foi uma conspiração que ocorreu em Vila Rica, hoje Ouro Preto, com caráter separatista. Sobre esse movimento é correto afirmar que

a) "foi um mero sintoma da generalização do pensamento socialista que vai explodir na geração seguinte. Apesar de sua existência efêmera representou um marco de resistência colonial contra a opressão metropolitana..."
b) "inspirada nos ideais revolucionários franceses, visava à igualdade social, liberdade de comércio, trabalho livre e fim das distinções de raça e de cor."
c) "o movimento reflete o clima de tensão social e política vivida na região. Foi nesta região que se desenvolveu a maioria das sociedades secretas que divulgaram os ideais revolucionários de liberdade."
d) "foi um movimento que abortou antes de se iniciar, mas que mostrou um sintoma de desagregação do Império português na América. Embora não tenha recebido influência direta da Revolução Francesa os ideais iluministas e liberais estavam presentes no movimento."
e) "defendendo o federalismo, os insurretos pretendiam proclamar a independência e organizar o governo com base nos princípios de soberania popular e participação das camadas mais pobres nas decisões políticas."

20. (UFF) O lema liberal "Liberdade, Igualdade e Fraternidade" consagrado pela Revolução Francesa influenciou, sobremaneira, as chamadas Inconfidências ocorridas em fins do século XVIII no Brasil Colônia.

Assinale a opção que apresenta informações corretas sobre a chamada Conjuração dos Alfaiates.

a) Envolveu a participação de mulatos, negros livres e escravos, refletindo não somente a preocupação com a liberdade, mas também com o fim da dominação colonial.
b) Esta inconfidência baiana caracterizou-se por restringir-se à participação de uma elite de letrados e brancos livres influenciados pelos princípios revolucionários franceses.
c) Em tal conjuração, a difusão das idéias liberais não acarretou crítica às contradições da sociedade escravocrata.
d) Este movimento, também conhecido como Inconfidência Mineira, teve um papel singular no contexto da crise do sistema colonial, revelando suas contradições e sua decadência.
e) Um de seus principais motivos foi a prolongada crise do setor cafeeiro que se arrastou ao longo da segunda metade do século XVIII.

21. (UEL) "A falta de consistência ideológica não invalida o significado (...) do movimento. Era um sintoma da desagregação do Império português da América. A Coroa portuguesa bem o sentiu e tentou, por um castigo exemplar (1792), deter a marcha do processamento histórico e impedir, pelo terror, que seus domínios seguissem o exemplo da América inglesa. Refletia, por outro lado, os impulsos de um povo que tomava consciência de sua realidade, suas particularidades e suas possibilidades. Esse sentido foi nacionalista."

O texto descreve uma realidade que pode ser associada à

a) Inconfidência Mineira.
b) Guerra dos Farrapos.
c) Revolta dos Alfaiates.
d) Revolução Pernambucana.
e) Confederação do Equador.

22. (FATEC) Em 1798, surge na Bahia um movimento rebelde conhecido como Conjuração Baiana ou Revolta dos Alfaiates, que contou com a participação de pessoas das camadas sociais mais humildes.

Esse movimento

a) pretendia fundar uma Universidade, instalar manufaturas de tecidos e aproveitar o ferro e o salitre da região.
b) protestava contra os impostos, defendia a abolição da escravatura e propunha aumento de soldo aos soldados.
c) defendia o fim do Pacto Colonial e o desenvolvimento de manufaturas têxteis e siderúrgicas, além do estímulo à produção agrícola.
d) foi o primeiro movimento de rebeldia a questionar o Pacto Colonial.
e) no plano político contava com elementos adeptos da república, enquanto outros pretendiam uma monarquia constitucional.

23. (UFES) Sobre a Conjuração Baiana, ocorrida em 1798, é CORRETO afirmar que

a) foi uma revolta liderada pelos senhores de escravos, que contou com pouca mobilização popular sobretudo das populações de cor.
b) foi uma revolta anticolonial, com maior presença das camadas populares, que, entre outros objetivos, pretendia acabar com a escravidão e fundar uma república democrática.
c) foi um movimento liderado por intelectuais e escravos, comprometido com a luta anticolonial, mas sem planos de revolta.
d) foi um movimento contra as taxações excessivas sobre o fumo e o açúcar, que não assumiu um caráter anticolonialista.
e) foi uma revolta liderada pela elite baiana, que lutava pela permanência do sistema escravista.

24. (MACKENZIE) Já na Bahia, em 1798, a inquietação é orientada por elementos de "baixa esfera", pequenos artesãos, ex-proprietários de lavoura de cana, militares de baixo escalão (...) O problema é mais social que colonial.
            Carlos Guilherme Mota

Sobre a Inconfidência Baiana, descrita no texto acima, podemos afirmar que:

a) se inspirava nas idéias revolucionárias francesas e propunha mudanças na ordem social da colônia.
b) liderada pela elite, preocupava-se com a preservação dos direitos dos grandes proprietários e da estabilidade social.
c) tinha como único suporte ideológico as idéias da Independência dos E.U.A..
d) com sólido apoio militar e popular, ofereceu sério risco ao domínio colonial português.
e) como a Revolução Pernambucana de 1817, foi derrotada por ser elitista e sem propostas sociais.

25. (FATEC) A Conjuração ou Inconfidência Mineira foi o primeiro movimento a manifestar de forma clara a intenção de romper completamente com Portugal.

Dentre os muitos planos desses revolucionários estava

a) fixar a capital em Sabará e implantar a República, sendo o primeiro presidente Alvarenga Peixoto.
b) fixar a capital em Mariana e criar uma bandeira com um triângulo vermelho com a divisa "Libertas Quae Sera Tamem".
c) fixar a capital em São João Del Rei e acabar com a escravidão negra.
d) fixar a capital em São João Del Rei e acabar com o exército; em seu lugar atuariam as milícias.
e) fixar a capital em Sabará e premiar as mulheres brancas que tivessem muitos filhos.


 GABARITO 

01 - E
02 - A
03 - A
04 - B
05 - C
06 - E
07 - A
08 - D
09 - E
10 - D
11 - B
12 - B
13 - B
14 - B
15 - D
16 - B
17 - B
18 - B
19 - D
20 - A
21 - A
22 - B
23 - B
24 - A
25 - D

Um comentário: