Brasil Império - 45 Exercícios com gabarito

01. (UFF) A abolição do tráfico africano pode ser considerado um dos principais fatores explicativos do definhamento progressivo do escravismo no Brasil. Privada da fonte atlântica de abastecimento de cativos, a classe senhorial do Império teve que apelar para o tráfico interno entre as províncias. Deste se beneficiou o sudeste, região que concentrava 87% da população cativa do país entre 1870 e 1880. No ano de 1887, às vésperas da Abolição, 15% da população cativa estavam na província de São Paulo.

Assinale a opção que caracteriza melhor a dinâmica da economia cafeeira no século XIX em função do problema da mão-de-obra.

a) A cafeicultura do oeste paulista ancorada nas colônias de parceria não se baseou no trabalho livre, mas em relações semi-escravistas, como demonstra a revolta dos imigrantes de Rio Claro na década de 40.
b) A abolição do tráfico africano conduziu ao reforço da escravidão nas antigas províncias do Rio de Janeiro e Minas Gerais, sobretudo no Vale do Paraíba, ao contrário do ocorrido em São Paulo, cujos cafeicultores optaram, desde logo, pelo trabalho assalariado de imigrantes.
c) A abolição do tráfico africano não conduziu, de imediato, à crise do escravismo, uma vez que a população cativa do país aumentou extraordinariamente até a década de 80, sobretudo no sudeste, graças ao crescimento vegetativo ocorrido entre africanos e crioulos.
d) A crise da economia cafeeira no Vale do Paraíba Fluminense deveu-se mais ao desgaste dos cafezais plantados em encostas, do que à falta de braços para a lavoura, ao passo que, no oeste paulista, a abundância de solos de "terra roxa" e o trabalho dos colonos impulsionaram a cafeicultura da região.
e) A expansão cafeeira no sudeste desenvolveu-se com base no trabalho escravo, inclusive no oeste paulista, não obstante ali se tenha adotado, em larga escala, o trabalho juridicamente livre de imigrantes ao longo dos anos 80.

02. (UFPE) Durante o século XIX, a economia brasileira continuou essencialmente agro-exportadora. O surgimento de uma nova cultura deslocou o centro econômico do país de uma região para outra, porque:

a) A expansão do mercado internacional do algodão deslocou para o Maranhão os capitais aplicados no tráfico negreiro, tornando esta região um grande setor econômico.
b) O Nordeste perdia para a Região Norte grandes contingentes populacionais, tendo em vista a importância da borracha para o comércio de exportação.
c) O café, ao se tomar o produto de exportação mais rentável, transformou a região Sudeste no centro econômico mais importante do país, desequilibrando a relação de poder no Império.
d) A cultura do cacau associada à da cana-de-açúcar do Recôncavo Baiano deslocou para a região Nordeste capitais empregados a exploração das minas.
e) O crescimento das exportações de açúcar tornaram a região Nordeste o centro econômico mais produtivo durante todo esse período.

03. (UFPE) A Independência do Brasil despertou interesses conflitantes tanto na área econômica quanto na área política. Qual das alternativas apresenta esses conflitos?

a) Os interesses econômicos dos comerciantes portugueses se chocaram com o "liberalismo econômico" praticado pelos brasileiros, subordinados à hegemonia da Inglaterra.
b) A possibilidade de uma sociedade baseada na igualdade e na liberdade levou a jovem nação a abolir a escravidão.
c) As colônias espanholas tornaram-se independentes dentro do mesmo modelo brasileiro: monarquia absolutista.
d) A Guerra da Independência dividiu as províncias brasileiras entre o "partido português" e o "partido brasileiro" , levando as Províncias do Grão-Pará, Maranhão, Bahia e Cisplatina a apoiarem, por unanimidade, a independência.
e) Os republicanos, os monarquistas constitucionalistas e os absolutistas lutaram lado a lado pela independência, não deixando que as suas diferenças dificultassem o processo revolucionário.

04. (UFPE) Após a Guerra do Paraguai, os temas mais polêmicos debatidos no parlamento brasileiro eram a(s):

a) abolição da escravidão e a nova estratégia militar para a ocupação do Paraguai e Uruguai;
b) abolição da escravidão e a legitimidade do poder absoluto do imperador;
c) Lei do Ventre Livre e o novo liberalismo econômico;
d) abolição do Tráfico Negreiro e a propaganda republicana;
e) Leis do Sexagenário e do 13 de maio, e o Positivismo.

05. (PUC-PR) A respeito da economia e da sociedade no Segundo Reinado (1840-1889), complete as lacunas e assinale a alternativa correta:

O café foi o principal produto de exportação do período, tendo na Província do Rio de Janeiro mão-de-obra basicamente __________. Em função da Guerra de Secessão nos Estados Unidos, na década de 1860 o açúcar foi superado pelo(a) ________. Ocorreu a substituição da mão-de-obra escrava pelo trabalho do imigrante europeu na Província de(a) __________, sendo que inicialmente se lhes aplicou o sistema de trabalho denominado __________. Confirmando e ampliando a formação dos latifúndios, em 1850 foi determinado por meio da __________, que terras públicas só poderiam ser adquiridas mediante compra.

a) assalariada - fumo - Bahia - parceria - Lei das Capitanias.
b) escrava - cacau - Minas Gerais - cooperação - Lei das Concessões.
c) escrava - couro - São Paulo - harmonia - Lei Imobiliária.
d) escrava - algodão - São Paulo - parceria - Lei de Terras.
e) assalariada - algodão - São Paulo - parceria - Lei de Arras.

06. (FESP) O segundo Império corresponde a um longo período de nossa História, se estendendo da decretação da maioridade de Pedro II até 1889. Sobre esse período podemos afirmar que:

1. houve estabilidade econômica, o que é confirmado pela ausência de déficits no comércio exterior e equilíbrio nos gastos públicos; 
2. ocorreu a extinção do tráfico negreiro, o que exigiu dos proprietários de terras soluções para suprir a necessidade de mão-de-obra nas fazendas; 
3. foi caracterizado pela abertura política devido à atuação do Imperador Pedro II que, inclusive, abdicou do exercício do poder moderador; 
4. se consolidou o poderio inglês no país em negócios de exportação do café, bancos, ferrovias, etc; 
5. se fortaleceu o exército após os conflitos com o Paraguai, passando os militares a exigir tratamento digno e, assumindo, muitos deles, posição contrária à monarquia.

Assinale a opção correta:
a) 1, 3 e 5
b) 2, 4 e 5
c) 3, 2 e 5
d) 1, 2 e 4
e) 2, 3 e 4

07. (VUNESP) Em troca do reconhecimento de sua independência por parte da Inglaterra, o Brasil assinou um tratado, em 1826, incluindo cláusulas para por termo,

a) ao tráfico negreiro.
b) ao tratado comercial de 1810.
c) à escravidão africana.
d) à autonomia municipal.
e) ao pacto colonial.

08. (FESP) A vinda de imigrantes para o Brasil se intensifica na segunda metade do século XIX na medida em que, igualmente, se expande a cultura do café. Sobre essa questão, podemos afirmar que:

1. O sistema de parceria, em que colonos tinham suas despesas de viagem e instalação pagas pelos fazendeiros para posterior indenização, possibilitou o sucesso da imigração nas áreas cafeicultoras. 
2. As restrições adotadas pelos E.U.A. à imigração e o avanço do capitalismo no campo italiano, concentrado a terra em poucas mãos, contribuíram para que muitos imigrantes escolhessem o Brasil como destino. 
3. A política adotada pelo governo brasileiro de assumir todo o processo de imigração resultou em fracasso pelo freqüente desvio das verbas públicas destinadas a essa finalidade. 
4. A entrada de imigrantes facilitou a introdução do trabalho agrícola assalariado e evidenciou as limitações do trabalho escravo, rompendo-se a unidade política da aristocracia agrária em relação à escravidão. 
5. A atuação do governo brasileiro, subvencionando despesas de viagem enquanto os fazendeiros arcavam com os gastos do colono durante seu primeiro ano no país, possibilitou o crescimento da corrente imigratória.
Indique a opção incorreta:

a) 1 e 4
b) 1 e 3
c) 2 e 5
d) 3 e 5
e) 2 e 4

09. (UFPE) O relatório do parlamentar do Império Nabuco de Araújo informa que "o tráfico (de escravos) interprovincial esvaziou o sistema (escravocrata) nas províncias do Norte, portanto, a batalha final vai se dar no coração do Império - Rio, Minas, São Paulo - no reinado do café".

Entre as alternativas abaixo indique a que completa o enunciado.

a) A estagnação e a decadência do vale do Paraíba esgotaram o sistema escravista, também na região sudeste.
b) A abolição da escravidão no Ceará desestabilizou completamente o sistema, inclusive no maior centro cafeicultor que era São Paulo.
c) Enquanto no sudeste o café prosperava, no nordeste o açúcar declinava. A escravidão não era mais uma questão nacional. O movimento abolicionista e o capital inglês pressionavam na direção do trabalho livre assalariado, no maior centro de poder do país: a Corte.
d) A transferência de escravos de uma região para outra reforçou o sistema: substituía o trabalho livre pelo trabalho compulsório.
e) A Lei do Ventre Livre possibilitou a decadência do sistema escravocrata criando as condições necessárias para a abolição da escravidão.

10. (PUC-RJ) Considere as seguintes afirmativas sobre a crise do escravismo no Brasil:

I. A extinção do tráfico intercontinental resultou da convergência das fortes pressões do governo inglês com interesses do governo imperial e de parcela das elites agrárias brasileiras.
II. A crise foi permeada pelo debate entre escravistas e anti-escravistas, no qual os primeiros utilizam argumentos econômicos, jurídicos e morais - "necessidade para a produção", "a inviolabilidade da propriedade", o "caráter civilizatório da escravidão"- contra as proposições ético-morais-religiosas dos últimos - "direitos naturais dos homens", alicerçados pela palavra divina.
III. A Lei do Ventre Livre, em 1871, propôs um meio termo conciliatório: ao mesmo tempo que liberta todos os filhos de escravos, abre a possibilidade destes - os ingênuos - permanecerem como escravos até completarem 21 anos, no caso dos senhores não serem indenizados.
IV. Os abolicionistas, no intuito de defenderem a "raça negra", formaram diversas associações na década de 1880. Os "emancipacionista", capitaneados por proprietários paulistas, também desejosos de acabar com a escravidão, estavam mais preocupados em eliminar as barreiras que dificultavam a grande imigração de trabalhadores europeus.
V. Revoltas e fugas em massa de escravos durante a década de 1880 aceleraram o processo abolicionista, levando inúmeros senhores a transformar trabalho escravo em trabalho livre por iniciativa própria.

Assinale a alternativa que contém a(s) afirmativa(s) correta(s):

a) somente III;
b) somente I, II e IV;
c) somente II, IV e V;
d) somente III e V;
e) todas as afirmativas estão corretas.

11. (FUVEST) A Sabinada, que agitou a Bahia entre novembro de 1837 e março de 1838,

a) tinha objetivos separatistas, no que diferia frontalmente das outras rebeliões do período.
b) foi uma rebelião contra o poder instituído no Rio de Janeiro, que contou com a participação popular.
c) assemelhou-se à Guerra dos Farrapos, tanto pela postura anti-escravista, quanto pela violência e duração da luta.
d) aproximou-se, em suas proposições políticas, das demais rebeliões pela defesa do regime monárquico.
e) pode ser vista como uma continuidade da Rebelião dos Alfaiates, pois os dois movimentos tinham os mesmos objetivos.

12. (UERJ) Que tardamos? A época é esta: Portugal nos insulta; a América nos convida; a Europa nos contempla; o príncipe nos defende. Cidadãos! Soltai o grito festivo... Viva o Imperador Constitucional do Brasil, o Senhor D. Pedro I. (Proclamação. Correio Extraordinário do Rio de Janeiro 21 de setembro de 1822.)
Este texto mostra o rompimento total e definitivo com a antiga metrópole como necessário para a construção do Império Brasileiro. Nele também está explícito um dos fatores que contribuíram para o processo de construção de independência do Brasil.

Esse fato foi:

a) a ajuda das potências européias em função de seus interesses econômicos.
b) a intransigência das Cortes de Lisboa na aceitação das liberdades brasileiras.
c) o ideal republicano em consonância com o das antigas colônias espanholas.
d) o movimento separatista das províncias do norte em processo de união com Portugal.

13. (UERJ) Ai, filha! Você não entende deste riscado. Neste mundo não existe coisa alguma sem sua razão de ser. Estas filantropias modernas de abolição! É chover no molhado - preto precisa de couro e ferro como precisa de angu e baeta. Havemos de ver no que há de parar a lavoura quando esta gente não tiver no eito. Não é porque eu seja maligno que digo e faço estas coisas. É que sou lavrador, e sei dar o nome aos bois. Enfim, você pede, eu vou mandar tirar o ferro. Mas são favas contadas - ferro tirado, preto no mato. (RIBEIRO, Júlio. A Carne. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1952 - com adaptações.)

O autor do romance A Carne (1888) antecipa, no trecho acima, uma preocupação de muitos proprietários de terra, escravistas, quanto às conseqüências da abolição dos escravos para a agricultura brasileira.

Esta posição pode ser resumida da seguinte forma.

a) A grande lavoura não teria futuro sem a mão-de-obra escrava.
b) A abolição provocaria a superação da lavoura pela indústria.
c) A agricultura ficaria restrita à produção para o mercado interno.
d) O fim da escravidão transformaria as lavouras em terras improdutivas.

14. (CESGRANRIO) O período regencial (1831-1840) foi marcado, na história do Império brasileiro, por grave instabilidade política, como se observa no(a):

a) reforço da política centralizadora que permitiu o fim das rebeliões provinciais.
b) envolvimento do Império em confronto com os países platinos.
c) caráter restaurador de diversas revoluções como a Farroupilha.
d) vitória do movimento regressista, que levou à revisão do Ato Adicional.
e) oposição dos setores liberais às reformas implantadas pelo Ato Adicional.

15. (PUC-CAMP) A famosa Lei Áurea aboliu definitivamente a escravidão no Brasil. Apesar disso a situação dos negros após aquela Lei caracterizou-se:

a) pela marginalização da massa de ex-escravos, com o conseqüente aparecimento de áreas miseráveis, nas cidades, para onde parte dela se dirigiu, ou a manutenção das suas precárias condições de vida no campo, onde muitos preferiam permanecer.
b) pelo fortalecimento político da Monarquia, que manteve o apoio do Grupo parlamentar que representava os interesses do Vale do Paraíba, agora indiferentes à questão republicana.
c) pela tentativa de superar o impasse político com a formação do Gabinete da Conciliação, reunindo liberais e conservadores.
d) pelo início da fase das questões militar, eleitoral, religiosa, sucessória e das guerras externas.
e) pela crise econômica que favorece a queda do Império, pois as relações escravistas ainda predominavam nas áreas produtoras mais importantes.

16. (PUC-MG) Associando as colunas, NÃO há correspondência para:

(  ) Pará – 1835/40
(  ) Maranhão – 1838/41
(  ) Rio Grande do Sul – 1835/45
(  ) Alagoas e Pernambuco – 1832/35

a) Guerra dos Cabanos
b) Cabanagem
c) Sabinada
d) Balaiada
e) Guerra dos Farrapos

17. (FESP)

- Para onde vais garboso, meu querido general? 
- Vou brigar com seu Solano, conquistar o Paraguai. 
- E quem levas na jornada, nessa marcha marcial? 
- Vai comigo a Argentina, vai comigo o Uruguai.
Solano é o diabo que atrapalha o inglês que está em nossa casa no lugar do português
Solano já não compra e agora quer vender quer tomar da Inglaterra o mercado e o poder.
A guerra estende seu manto de sangue na terra bruta e, como sempre, quem vence não é quem está na luta.
(Milton Nascimento e Fernando Brant)

Os versos acima, relativos à chamada Guerra do Paraguai, são confirmados:

1. pelos interesses do Brasil e da Argentina no controle da navegação nos rios platinos, levando esses países a interferir no Uruguai para impedir que se aliasse ao Paraguai; 
2. pelas arbitrariedades e violências cometidas por Lopez contra os ingleses; 
3. pelo esforço existente no Paraguai para incentivar as exportações e a indústria e diminuir as importações; 
4. pela política de isolamento praticada por Lopez, objetivando o controle absoluto dos rios platinos para o seu país; 
5. pelas dívidas acumuladas pelos países vencedores da guerra que foram levados a realizar novos empréstimos no exterior.

Assinale a opção correta:

a) 1, 2 e 4
b) 2, 3 e 5
c) 1, 3 e 5
d) 3, 4 e 5
e) 5, 2 e 3

18. (PUC-CAMP) Pode-se considerar o Exército como força política influente no movimento Republicano porque:

a) seus integrantes, tendo origens, predominantemente na classe média, o indispunham à vigência de um Estado monárquico identificado com as camadas populares da sociedade.
b) seus oficiais, quase todos pertencentes à Maçonaria, solidarizaram-se com os bispos envolvidos na chamada Questão Religiosa, agudizando a crise política deflagrada contra o Imperador.
c) o declínio do prestígio dos militares após a Guerra do Paraguai, tornava seus oficiais críticos inexpressivos dos privilégios concedidos à Guarda Nacional.
d) seus oficiais mostraram-se descontentes com a recusa do Imperador em incorporá-los ao processo de repressão organizada contra a rebelião negra.
e) a influência do Positivismo entre os jovens oficiais imprimiu o ideal de um República militar como base do progresso nacional, em oposição ao governo corrupto dos "casacas".

19 . (UFRRJ) Leia as informações abaixo.

Sobre as revoltas que assolaram a sociedade brasileira no período regencial, entre 1831 e 1840, pode-se dizer:

I. Expressavam a insatisfação de setores de elites regionais com o poder central no Rio de Janeiro.
II. A Cabanagem no Pará e a Balaiada no Maranhão desafiaram as bases da sociedade brasileira de então: a grande propriedade e a escravidão.
III. Revelavam somente o descontentamento dos setores mais desfavorecidos como o dos pequenos proprietários, camponeses, índios e escravos.

Admite-se como correto:

a) apenas a afirmativa I.
b) apenas a afirmativa III.
c) as afirmativas I e II.
d) as afirmativas II e III.
e) as afirmativas I, II e III.

20. (UFMG) Os governos regenciais no Brasil (1831-1840) se caracterizam por:

a) buscar a afirmação do poder político central para satisfazer os exaltados.
b) fortalecer o poder político do Imperador, ao promover o Golpe da Maioridade.
c) promover a descentralização, o que gerou diversas revoltas regionais.
d) satisfazer o desejo dos moderados, que buscavam a restauração da monarquia.

21. (UFES) A constituição outorgada por D. Pedro I foi reformada uma década depois, durante o período regencial. Também conhecida como Ato Adicional à Constituição Política do Império, essa reforma:

a) tinha caráter absolutista, porque foi mantido o Senado vitalício, instituída a Regência Una e criado o Município Neutro.
b) tinha caráter liberal, porque foram extintos o Conselho de Estado, o Poder Moderador e o Senado vitalício.
c) representava uma vitória dos liberais moderados, que integravam o movimento Regressista.
d) incorporava as aspirações liberais descentralizadoras do poder político-administrativo e apresentava algumas características federalistas.
e) representava uma vitória política dos Restauradores, cujo objetivo era restabelecer os privilégios dos comerciantes reinóis defendidos pelo Partido Português.

22. (CESGRANRIO) A Constituição imperial brasileira, promulgada em 1824, estabeleceu linhas básicas da estrutura e do funcionamento do sistema político imperial tais como o(a):

a) equilíbrio dos poderes com o controle constitucional do Imperador e as ordens sociais privilegiadas.
b) ampla participação política de todos os cidadãos, com exceção dos escravos.
c) laicização do Estado por influência das idéias liberais.
d) predominância do poder do Imperador sobre todo o sistema através do Poder Moderador.
e) autonomia das Províncias e, principalmente, dos Municípios, reconhecendo-se a formação regionalizada do país.

23. (CESGRANRIO) Na segunda metade do século XIX, a introdução, de forma crescente, de trabalhadores livres na economia brasileira está ligada à:

a) crise da escravidão, principalmente após o fim do tráfico negreiro.
b) restrição de diversos países europeus à imigração de seus excedentes nacionais.
c) forma pacífica como foi encaminhada a Abolição, permitindo a utilização do antigo escravo como trabalhador livre.
d) acelerada criação de indústrias de base que não utilizavam trabalho escravo.
e) política contrária à escravidão, adotada pelo governo imperial ao longo de toda a sua história.

24. (CESGRANRIO) No período da chamada "crise do Império", a partir de 1870, vários fatores contribuíram para provocar a queda da monarquia, em 1889, dentre os quais se destaca o(a):

a) envolvimento continuado do Império em conflitos externos, principalmente na região platina.
b) conflito entre o Império e a Igreja, que era simpática às novas idéias filosóficas como o positivismo.
c) incompatibilidade de amplos setores do Exército com a monarquia.
d) expansão da lavoura cafeeira e da indústria, ampliando o uso da mão-de-obra escrava.
e) posição contrária ao federalismo adotada pelos republicanos, o que lhes garantiu o apoio das oligarquias agrárias.

25. (FESP) Embora o ideal de República fosse antigo no país, tendo inclusive vitimado muitos dos seus adeptos, só pode concretizar-se a 15 de novembro de 1889. As afirmativas referem-se ao contexto que culminou com a proclamação da República.

1) Uma relativa diversificação na economia, permitindo o crescimento do mercado interno. 
2) A descentralização político-administrativa do Império combatida pelas novas elites econômicas, que exigiam um governo centralizado e forte. 
3) A necessidade de se mudar a representação parlamentar, pois os senhores de terras e de escravos que ocupavam a maioria das cadeiras do Parlamento já não possuíam poder econômico que lhes garantisse essa posição. 
4) A questão religiosa, abalando as relações entre o Estado e a Igreja e levando muitos sacerdotes a uma atuação política mais sistemática. 
5) Um aumento considerável da população rural, que, paradoxalmente, foi assumindo um comportamento de relativa independência para com os grupos dominantes.

Estão corretas as afirmativas

a) 1, 3 e 4
b) 2, 4 e 5
c) 2 e 4
d) 3 e 5
e) todas

26. (PUC-MG) Sobre a Guarda Nacional, criada pelo ministro da justiça Padre Diogo de Feijó em 1831, é correto afirmar, EXCETO:

a) era uma política de confiança do governo e das classes dominantes agrárias.
b) deu origem ao poder dos "coronéis" durante a Primeira República.
c) foi criada para reprimir os movimentos sociais do período regencial.
d) subordinava-se aos Juízes de Paz de cada município do Império.
e) reforçou o poder do exército brasileiro em nível local.

27. (UFF) Por ser o herdeiro de menor idade, a abdicação de D. Pedro I, em 1831, resultou na formação de governos regenciais que até1840, enfrentaram inúmeras dificuldades para manter a integridade territorial do Império. Entre as várias rebeliões irrompidas nas províncias, a ocorrida no Maranhão notabilizou-se pela diversidade social dos insurgentes, entre os quais não faltaram escravos e quilombolas.

A revolta mencionada denomina-se:

a) Cabanagem
b) Balaiada
c) Farroupilha
d) Revolta dos Malês
e) Praieira

28. (PUC-MG) "O Brasil é o café e o café é negro." Essa frase se aplica à economia do século XIX, que pode ser relacionada com:

a) trabalho livre – latifúndio – demanda do mercado interno
b) escravidão – latifúndio – demanda do mercado externo
c) imigração – latifúndio – Região Nordeste
d) escravidão – pequenas propriedades – Região Norte
e) trabalho assalariado – médias propriedades – Região Sul

29. (PUC-MG) A abolição da escravatura no Brasil, em 13 de maio de 1888, resultou na conjugação de vários fatores como, EXCETO:

a) escassez de escravos a partir do término do tráfico negreiro (1850) e conseqüente aumento de seu preço.
b) formação de uma mentalidade, especialmente no meio urbano, que condenava a escravidão.
c) rebeldia escrava presente desde o início da colonização desgastando o sistema ao longo dos séculos.
d) heroísmo e sentimento humanitário da Princesa Isabel, que liderou o movimento abolicionista.
e) pressão das leis anteriores como a do Ventre Livre (1871) e a dos Sexagenários (1885).

30. (PUC-MG) RESPONDA A QUESTÃO SEGUINTE COM BASE NO ESQUEMA ABAIXO.
Refere-se à primeira Constituição Brasileira de 1824:

I. Garantiu o direito à propriedade, incluindo a permanência da escravidão.
II. Estabeleceu os três poderes; judiciário, legislativo e executivo, suprimindo o poder moderador.
III. Instituiu o voto censitário, direito eleitoral condicionado a certos níveis de renda.

a) se apenas a afirmação I estiver correta.
b) se apenas as afirmações I e II estiverem corretas.
c) se apenas as afirmações I e III estiverem corretas.
d) se apenas as afirmações II e III estiverem corretas.
e) se todas as afirmações estiverem corretas.

31. (FMU) A regra eleitoral prevista na Constituição outorgada em 1824 caracterizava-se por

a) instituir o voto secreto e proibitivo aos solteiros menores de 25 anos de idade
b) aplicar eleições indiretas e censitárias e em níveis provincial e paroquial
c) promulgar eleições diretas para presidentes e senadores das províncias
d) impor o sufrágio universal aos maiores de 18 anos, com exceção dos analfabetos
e) estabelecer o voto descoberto e eleições diretas à Câmara dos Deputados e Senado

32. (FMU) Além de reintegrar a economia brasileira no mercado internacional, a partir de 1850, o café foi responsável

a) pelo incremento das relações assalariadas de trabalho
b) pelo surto industrial ocorrido na região sul do Brasil
c) pela autonomia do Brasil em relação ao imperialismo britânico
d) pela intensificação do tráfico africano
e) pelo deslocamento do eixo econômico em direção ao centro-oeste

33. (UFPE) A História Oficial apresenta o expansionismo de Solano Lopez como o motivo provocador da Guerra do Paraguai que envolveu o Brasil, o Uruguai e a Argentina.

Na realidade, esta guerra ocorreu, sobretudo, devido.

a) À necessidade de crescimento da indústria têxtil argentina que se via limitada ao território nacional;
b) Ao projeto de emancipação econômica e política do Paraguai que contrariava interesses do capitalismo inglês;
c) À necessidade expansionista do Uruguai cujo governo visava apossar-se de partes do território a ser conquistado no conflito;
d) Ao desejo inglês de livrar o povo paraguaio de uma ditadura que contrariava a prática democrática européia;
e) À necessidade do Brasil de aumentar a venda do café para garantir mais divisas para o país.

34. (UFF) Por ser o herdeiro de menor idade, a abdicação de D.Pedro I, em 1831, resultou na formação de governos regenciais que, até 1840, enfrentaram inúmeras dificuldades para manter a integridade territorial do Império. Entre as várias rebeliões irrompidas nas províncias, a ocorrida no Maranhão notabilizou-se pela diversidade social dos insurgentes, entre os quais não faltaram escravos e quilombolas.

Assinale a opção que identifica corretamente a revolta mencionada acima.

a) Cabanagem
b) Balaiada
c) Farroupilha
d) Revolta dos Malês
e) Praieira

35. (PUC-PR) Instalado em 1822, o Império do Brasil encontrou dificuldades no reconhecimento de sua Independência por parte dos Estados europeus. Essas dificuldades existiam devido:

a) ao fato de o Brasil ter pesadas dívidas em várias capitais européias.
b) ao fato de ter estabelecido a forma monárquica de governo.
c) à sua própria organização interna, pois a Constituição de 1824 afastava o voto direto, secreto e universal.
d) à política reacionária e antinacionalista definida no Congresso de Viena e praticada por várias potências européias.
e) à negativa do governo de D. Pedro I em restituir a Província Cisplatina aos seus povoadores de origem castelhana.

36. (PUC-PR) Os principais produtos de exportação do Segundo Reinado (1840-1889) foram agrícolas, colocando-se sempre em primeiro lugar o(a):

a) açúcar..
b) erva-mate..
c) café.
d) trigo
e) arroz

37. (UFRN) O Período Regencial foi palco de várias rebeliões que eclodiram de Norte a Sul do país e que tiveram por objetivo a autonomia provincial, cogitando-se, às vezes, em instituir-se a República. Dentre elas, destacam-se a Cabanagem, a Balaiada e a Sabinada.

Identifique a opção que apresenta uma característica comum a essas revoltas.

a) descontentamento generalizado dos rebeldes, devido à longa permanência da monarquia portuguesa no Brasil.
b) apoio de quase todos os revoltosos ao retorno de D. Pedro, tendo as revoluções, portanto, um caráter restaurador.
c) participação intensa de camadas populares que reagiram, de forma violenta, na tentativa de melhorar sua vida material.
d) influência marcante das idéias francesas da Ilustração, que sensibilizaram os revoltosos e agitaram os interesses antimetropolitanos.

38. (UFPE) Dentre os fatores abaixo, indique os que contribuíram para a abolição da escravatura:

a) A resistência dos negros simbolizada na formação dos quilombos, a proibição do tráfico dificultando a renovação do plantel, a propaganda e a campanha dos abolicionistas.
b) A imigração européia, a decadência do comércio do açúcar e a proclamação da República.
c) O despovoamento da África, o crescimento negativo da população escrava no Brasil e a liberalização do tráfico de escravos.
d) O desenvolvimento da cultura cafeeira, a industrialização do país e as novas idéias do partido conservador.
e) A influência da maçonaria, a imigração portuguesa e a perseguição inglesa aos navios negreiros.

39. (PUC-RS) INSTRUÇÃO: Responder à questão abaixo sobre a economia cafeicultora, com base nas afirmativas abaixo.

I. O café era produzido com o objetivo de exportação, sendo seu cultivo baseado em latifúndios monocultores e escravistas.
II. A proibição do tráfico negreiro, a partir de 1850, pode ser vista como uma das causas da decadência das fazendas de café do Vale do Paraíba.
III. O Oeste paulista, destacado produtor de café a partir de meados do século XIX, iria introduzir o trabalho livre nas fazendas, com o emprego de imigrantes.
III. O império brasileiro se viu fortalecido economicamente, com o deslocamento do eixo cafeicultor do Vale do Paraíba para o Oeste paulista, impedindo o crescimento político de setores de oposição ao governo e dos movimentos republicanos.
V. A introdução de imigrantes nas fazendas de café do Oeste paulista levou a uma redução na produção, visto que esses trabalhadores não tinham a mesma eficiência e técnica dos escravos, além de trabalharem menos horas diárias.

A análise das afirmativas permite concluir que estão corretas apenas

a) I - II - IV
b) II - III - V
c) I - III - IV d) I - II - III
e) II - IV - V

40. (UFMG) Leia a frase.

"Precisamos de braços (...) no intuito de aumentar a concorrência de trabalhadores e, mediante a lei da oferta e procura, diminuir o salário."
(Fala de um deputado paulista, Anais da Câmara, 1888.)

A frase acima se refere

a) à polêmica em torno da preparação dos trabalhadores brasileiros, visando a sua adequação ao trabalho no interior das fábricas.
b) à discussão frente às revoltas populares que, no final do século XIX, reivindicavam a manutenção dos níveis salariais.
c) ao debate em torno da política imigratória, que permitiu a criação de condições para sustentar a expansão cafeeira.
d) à proposta de solução para a escassez de mão-de-obra escrava no centro-sul do País, no contexto do abolicionismo.

41. (PUC-RS) O período conhecido como I Império (1822-1831) foi marcado por disputas e instabilidade política, sendo ainda uma etapa inicial da organização do Brasil independente. Dentre os fatores abaixo, não se pode citar como causa desses problemas

a) a excessiva centralização e autoritarismo com que D. Pedro I conduzia o governo.
b) os conflitos políticos entre os grupos brasileiro e português, visto que este último ainda dispunha de grande influência junto ao Imperador.
c) o fechamento da Assembléia Constituinte ( 1823), gerando um clima de insatisfação entre os segmentos mais liberais da sociedade.
d) a pressão exercida por setores do exército brasileiro que, após a abdicação, passaram a ter um importante papel no período regencial, inclusive forçando a eleição da Regência Una de Feijó.
e) a manutenção de certos laços políticos ligando o Brasil a Portugal, pelo fato de D. Pedro I ser o herdeiro do trono português, o que gerava insatisfação no chamado grupo brasileiro.

42. (UFPE) processo político de emancipação do Brasil desenvolveu-se dentro de condições bastante especiais, dentre as quais é correto assinalar:

a) a presença de D. Pedro I, como regente do trono, estabelecia a possibilidade de uma separação entre Portugal e Brasil, sem, contudo, romper radicalmente com o regime monárquico.
b) as primeiras notícias chegadas ao Brasil dos acontecimentos do Porto deflagraram, em todas as províncias brasileiras, movimentos de repúdio à revolução lusa, formando-se "Juntas Constitucionais".
c) a Revolução do Porto, fundamentada em idéias liberais, tinha entre seus objetivos a reforma constitucional portuguesa e a emancipação política das suas colônias, entre elas, o Brasil.
d) nas Juntas Constitucionais formadas por brasileiros e portugueses, nas quais os brasileiros eram em maior número, havia a firme decisão de não se acatarem as resoluções tomadas pelas cortes em Lisboa, o que contrariava os interesses lusos.
e) Com relação ao Brasil, os revolucionários portugueses do Porto, mantinham a coerência com os postulados liberais, mostrando-se intransigentes defensores da emancipação política brasileira.

43. (PUC-RJ) Para muitos brasileiros que vivenciaram o período regencial (1831-1840), aquele foi um tempo de impasses, mudanças e rebeliões. Sobre esse período, é correto afirmar que:

I - a renúncia inesperada do Imperador D. Pedro I levou à nomeação de uma regência trina e à implantação, em caráter provisório, de um governo republicano.
II - a antecipação da maioridade de D. Pedro II, em 1840, garantiu o restabelecimento da ordem monárquica e a pacificação de todas as revoltas que ameaçavam a integridade territorial do Império.
III - houve uma série de revoltas envolvendo desde elementos das tropas regulares até escravos, destacando-se, entre elas, a Farroupilha, a Cabanagem e a Revolta dos Malês.
IV - a ausência provisória da autoridade monárquica estimulou a proliferação de projetos políticos destinados à reorganização do Estado imperial.

Assinale a alternativa:

a) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
b) se somente a afirmativa I estiver correta.
c) se somente as afirmativas II, III e IV estiverem corretas.
d) se somente as afirmativas III e IV estiverem corretas.
e) se todas as afirmativas estiverem corretas.

44. (PUC-RJ) "A raça ariana, reunindo-se, aqui, a duas outras totalmente diversas, contribuiu para a formação de uma sub-raça mestiça e crioula, distinta da européia. Não vem ao caso discutir se isto é um bem ou um mal; é um fato e basta."
(Sílvio Romero, História da Literatura,)
Nos anos que antecederam a abolição da escravidão no Brasil e nas décadas que a sucederam, houve uma longa controvérsia, expressa em polêmicas, discursos e livros, acerca do caráter racial brasileiro. Acerca desta questão, analise as afirmativas abaixo:
I) As teses sobre a inferioridade da "raça africana", aliada ao sentimento da sua incapacidade para o trabalho livre e auto-estimulado, reforçaram a opção dos cafeicultores paulistas pela imigração européia.
II) O argumento de "que a raça chinesa abastarda e faz degenerar a nossa" objetivou impedir a imigração de chineses _ os "coolies" - para substituir a mão de obra escrava.
III) Vários homens de ciência, após a Abolição, defenderam que somente a fusão dos grupos étnicos poderia aprimorar o homem brasileiro, ao propiciar o seu branqueamento.
IV) Ao longo da década de 20, mas principalmente na seguinte, o homem nacional mestiço foi valorizado, sendo inclusive o argumento para a lei da nacionalização do trabalho, de 1931, obrigando todas as empresas urbanas a empregar, pelo menos, 2/3 de mão de obra nacional.

Assinale a alternativa que contém as afirmativas corretas:

a) somente I, II e III.
b) somente I, III e IV.
c) somente II, III e IV.
d) somente I, II e IV.
e) todas as afirmativas estão corretas.

45. (UFCE) Na versão tradicional da historiografia brasileira, a Guerra do Paraguai decorreu:

a) da agressão de vizinhos poderosos a um pequeno país independente, o Paraguai;
b) do interesse do imperialismo inglês, a quem não convinha o desenvolvimento autônomo do Paraguai;
c) do personalismo e dos planos expansionistas do ditador Francisco Solano Lopez;
d) dos interesses ingleses na região e do processo de formação dos Estados Nacionais na América Latina;
e) da luta entre Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai para assumir uma posição dominante no continente.

_________________________________________
 GABARITO 
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
 E
C
AB
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
 B
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
 D
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
 B
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50






Nenhum comentário:

Postar um comentário