Crise de 1929 - 38 Exercícios com gabarito

1. (Fuvest) "A crise atingiu o mundo inteiro. O operário metalúrgico de Pittsburgo, o plantador de café brasileiro, o artesão de Paris e o banqueiro de Londres, todos foram atingidos".
(Paul Raynaud - LA FRANCE A SAUVÉ L'EUROPE, T. I. Flamarion )
O autor se refere à crise mundial de 1929, iniciada nos Estados Unidos, da qual resultou:
a) o abalo do liberalismo econômico e a tendência para a prática da intervenção do Estado na economia.
b) o aumento do número das sociedades acionárias e da especulação financeira.
c) a expansão do sistema de crédito e do financiamento ao consumidor.
d) a imediata valorização dos preços da produção industrial e fim da acumulação de estoques.
e) o crescimento acelerado das atividades de empresas industriais e comerciais, e o pleno emprego.

2. (Unesp) A crise capitalista desencadeada em 1929 nos EUA e na Europa Ocidental estendeu-se para a América Latina contribuindo para:
a) a revogação de todas as tarifas protecionistas, o intervencionismo estatal e a substituição de importações.
b) abalar o poder das oligarquias e o surgimento de regimes populistas e ditaduras conservadoras.
c) a modernização do campo através do deslocamento de mão-de-obra que sobrevivia precariamente nas cidades.
d) Juan Domingo Perón destacar-se como governante populista no México.
e) a ruptura da estrutura de espoliação do povo latino-americano.

3. (Fuvest) Sobre a crise do capitalismo, na década de 1930, e o colapso do socialismo, na década de 1980, pode-se afirmar que:
a) a primeira reforçou a concepção de que não se podia deixar uma economia ao sabor do mercado, e o segundo a de que, uma economia não funciona sem mercado.
b) ambos levaram à descrença sobre a capacidade do Estado resolver os problemas colocados pelo desemprego em massa.
c) assim como a primeira, também o segundo está provocando uma polarização ideológica que ameaça o Estado de Bem-estar Social.
d) ambos, provocando desemprego e frustração, fizeram aparecer agitações fascistas e terroristas contando com amplo respaldo popular.
e) enquanto a primeira reforçou a convicção dos defensores do capitalismo, o segundo fez desaparecer a convicção dos defensores do socialismo.

4. (Unirio) A grave crise econômico-financeira que atingiu o mundo capitalista, na década de 30, tem suas origens nos Estados Unidos. A primeira medida governamental que procurou, internamente, solucionar essa crise foi o "New Deal", adotado por Roosevelt, em 1933. Uma das medidas principais desse programa foi o(a):
a) encerramento dos investimentos governamentais em obras de infra-estrutura.
b) fim do planejamento e da intervenção do Estado na economia.
c) imediata suspensão da emissão monetária.
d) política de estímulo à criação de novos empregos.
e) redução dos incentivos à produção agrícola.

5. (Ufpe) Após a Primeira Guerra Mundial, a febre de negócios baseada na especulação provocou a Crise de 1929. Identifique, nas alternativas a seguir, os principais fatos que a produziram.
a) Aparecimento de ideologias como o Fascismo e o Nazismo.
b) Superprodução de mercadorias e saturação dos mercados consumidores.
c) Retraimento do crédito e proibição das exportações.
d) Equilíbrio entre a agricultura e o comércio.
e) Má colheita e demanda ilimitada da indústria.

6. (Ufmg) "(...) Há neste momento nos Estados Unidos cerca de 14 milhões de desempregados, e, como muitos deles têm família, 20 a 30 milhões de homens e mulheres vivem de esmolas, privadas ou públicas (...). O espetáculo de uma grande nação de que um quarto se encontra reduzido à impotência produz emoções bem mais fortes do que uma estatística em preto e branco. Desde que põe pé neste país, o estrangeiro compreende de repente que em nenhum momento a Europa imaginou a dolorosa intensidade da depressão dos Estados Unidos."
(MAUROIS, André, ESTALEIROS AMERICANOS. 1933)
A recuperação econômica dos EUA, após a Crise de 1929, ocorreu através do NEW DEAL (1933-1938).
Todas as alternativas apresentam instrumentos de ação do NEW DEAL, EXCETO:
a) A administração de Reassentamento, que transferiu famílias que ocupavam terras de qualidade inferior.
b) A Lei Anti-Truste, que proibia o controle de 60% do mercado por uma empresa ou associação de empresas.
c) A Lei da Cerveja e do Vinho e da Vigésima Primeira Emenda, que pôs fim à Lei Seca.
d) A Lei de Assistência Civil à Conservação e ao Reflorestamento, que criava frentes de trabalho para os jovens e desempregados.
e) A Lei do Ajustamento Agrícola, que subsidiava os fazendeiros que reduzissem a sua produção.

7. (Fuvest) Da Grande Depressão, ocorrida no mundo capitalista com a crise econômica de 1929, resultou:
a) o desemprego, o reforço do liberalismo e a modernização do setor industrial.
b) a arte expressionista, um avanço dos movimentos anarquistas e o Nazi-Fascismo.
c) o intervencionismo estatal, múltiplos problemas sociais e nova corrida armamentista.
d) o surgimento do neoliberalismo, o fim da hegemonia européia e a popularidade das correntes culturais existencialistas.
e) o sucesso dos partidos socialistas ocidentais, o recuo do desemprego e o início de uma aproximação com a União Soviética.

8. (Puccamp) Em linhas gerais, pode-se dizer que a Grande Depressão (1929) resultou principalmente
a) da queda da exportação, desemprego e aumento de consumo interno.
b) da desvalorização da moeda, com o objetivo de elevar os preços dos gêneros agrícolas.
c) do fechamento temporário dos bancos e a requisição dos estoques de ouro para sanear as finanças.
d) da superprodução industrial e agrícola, que foi se evidenciando quando o mercado não conseguiu mais absorver a produção que se desenvolvera rapidamente.
e) da emissão de papel-moeda e o abandono do padrão-ouro que permitiram ao Banco Central financiar o seguro-desemprego.

9. (Mackenzie) As causas da crise de 1929 foram:
a) aumento das taxas de juros, explosão de consumo, quebra da produção agrícola e nacionalização de empresas.
b) consolidação do Nazi-Fascismo, aumento do consumo, valorização do mercado financeiro e aumento das exportações.
c) "crack" da Bolsa de New York, aumento dos preços do petróleo, redução dos salários.
d) intervenção do Estado na economia, contradição entre capacidade de consumo e produção e concorrência com os produtos asiáticos.
e) superprodução agrícola e industrial, diminuição do consumo, "crack" da Bolsa de New York e diminuição das exportações.

10. (Cesgranrio) A adoção do "New Deal", após a crise de 1929, nos Estados Unidos, identifica-se com:
a) o intervencionismo do Estado na Economia, para controlar o sistema de crédito, regulamentar os salários e garantir o investidor;
b) a intenção de socializar progressivamente a economia norte-americana através de mecanismos nitidamente estatizantes;
c) a política de juros baixos adotadas pelos bancos privatizados pelo governo de F. D. Roosevelt;
d) a recuperação econômica das indústrias falidas (com o "crack" da Bolsa), através da entrada de capitais estrangeiros;
e) o emprego de mão-de-obra, subsidiada pelo governo, tanto na indústria como na agricultura.

11. (Faap) A "Lei Seca". Entrou em vigor a emenda constitucional XVIII, conhecida como "Lei Seca", que proibia a fabricação e venda de bebidas alcoólicas. Motivou o contrabando, a falsificação e o aparecimento do gangsterismo, em algumas cidades norte-americanas, no governo de:
a) Roosevelt
b) Woodrow Wilson
c) Truman
d) MacArthur
e) Lincoln

12. (Unesp) A crença liberal no equilíbrio espontâneo do mercado foi reforçada em 1803 pela "lei de Say". Formulada pelo francês Jean-Baptiste Say, essa lei afirmava que toda oferta cria a sua demanda e inversamente, de tal modo que excluía a possibilidade de crise de superprodução no capitalismo.
Qual, dentre os seguintes acontecimentos, constitui a refutação mais importante e direta da "lei de Say"?
a) Revolução Russa de 1917.
b) Crise de 1929.
c) Movimento de independência da América Latina.
d) Unificação da Alemanha.
e) Ascensão dos Estados Unidos depois da Segunda Grande Guerra.

13. (Cesgranrio) A solução americana para a crise de 1929 caracteriza-se como:
a) o processo de busca de alternativas socialistas para a crise do capitalismo com a mudança de regime político.
b) o resultado das pressões comunistas sobre o governo americano, que acaba assumindo, como política, a eliminação dos interesses privados na economia.
c) o resultado da insatisfação da sociedade americana com relação aos princípios liberais assumidos pelos partidos de esquerda que se vinculavam ao governo.
d) a introdução, na cultura americana, de valores europeus através da incorporação de tecnologia à economia americana e de alternativas de seguridade total.
e) uma saída nacional que acentua o papel dirigente do Estado em determinados setores econômicos, conhecida como "New Deal".

14. (Cesgranrio) A política do "New Deal" (1933-39), implementada nos Estados Unidos pelo presidente Franklin Roosevelt, significou um (a):
a) combate ao liberalismo através da contenção dos níveis de consumo interno.
b) estímulo à política de criação de empregos com grandes investimentos em infra-estrutura.
c) proibição da emissão monetária, o que impediu o crescimento da inflação.
d) retração da produção industrial, o que provocou o recrudescimento da economia.
e) redução acentuada dos gastos governamentais, o que estabilizou as finanças públicas.

15.(Fgv) A política de recuperação econômica e social adotada pelo presidente Roosevelt dos E.U.A. nos anos 30, denominada "New Deal", propunha, entre outras medidas:
a) a liberação dos preços dos produtos básicos e o aumento da jornada de trabalho;
b) o fim da intervenção do Estado na economia e a utilização do trabalho do menor;
c) a proibição da formação de associações sindicais e a extinção da previdência social;
d) a concessão de empréstimos aos fazendeiros arruinados e o aumento do nível de emprego para os operários;
e) o incentivo à utilização do capital estrangeiro e a liberdade para a formação de cartéis.

16. (Uel) A primeira decisão governamental que procurou solucionar a crise econômica-financeira que atingiu o mundo capitalista na década de 30 foi o "New Deal", adotado por Roosevelt, presidente dos Estados Unidos. Dentre as medidas principais desse programa, destaca-se
a) o encerramento dos investimentos governamentais em obras de infra-estrutura.
b) a imediata suspensão à criação de novos empregos.
c) a política de estímulo à criação de novos empregos.
d) a redução dos incentivos à produção agrícola.
e) o fim do planejamento e da intervenção do Estados na economia.

17. (Mackenzie) A partir do ano de 1932, o Presidente norte-americano F. D. Roosevelt adotou um conjunto de medidas, o "New Deal", com o objetivo de resgatar o crescimento econômico interrompido pelo "crack" de 1929.
Dentre essas medidas destacamos:
a) incentivo à construção de obras públicas, intervenção estatal na economia e controle da produção visando à manutenção dos preços dos produtos.
b) venda de empresas estatais e incentivo ao aumento da produção de produtos agrícolas.
c) privatização da previdência social, aumento da jornada de trabalho e proibição da construção de obras públicas.
d) redução dos salários dos empregados e fim do seguro desemprego.
e) desenvolvimento da previdência social e fim da intervenção estatal na economia.

18. (Puccamp) O processo em que as firmas maiores passaram a comprar empresas menores em dificuldade financeira, independentemente de seu ramo de produção, formando agregados de firmas que se dedicavam a múltiplas atividades, coordenadas por uma direção centralizada; criando-se imensos conglomerados multifuncionais, iniciou-se, nos Estados Unidos, com
a) a Guerra de Secessão.
b) o Tratado de Versalhes.
c) a Primeira Guerra Mundial.
d) a crise econômica de 1929.
e) o Sistema de Alianças em 1907.

19. (Fatec) Entre os fatores que ocasionaram a crise de 1929 nos EUA destaca(m)-se
a) o protecionismo rígido, a escassez de crédito bancário e a superprodução.
b) a saturação do mercado, a crise na agricultura e o "crash" da bolsa de Nova York.
c) a superprodução, a saturação do mercado e a expansão desmedida do crédito bancário.
d) a adoção de programas de construção de obras financiadas pelo Estado para minorar o desemprego.
e) a excessiva oferta de terras e o protecionismo rígido.

20. (Pucmg) A crise econômica de 1929 não deixa intocado nenhum ramo da economia e atingiu diferentes segmentos sociais, determinando, EXCETO:
a) diminuição drástica do volume do comércio internacional.
b) afastamento do poder público do cenário econômico.
c) desemprego em massa e aumento do número de falências.
d) a queda acentuada da produção em nível mundial.
e) a retração da taxa de crescimento e da renda nacional.

21. (Ufrs) NÃO pode ser considerado(a) consequência da crise econômica de 1929
a) a retração do comércio internacional e da produção industrial, bem como a queda do preço das matérias-primas.
b) o crescimento do desemprego na Alemanha, país cuja economia era baseada na exportação de produtos industrializados.
c) o crescimento econômico da União Soviética baseado na Nova Política Econômica (NEP).
d) a eleição de Franklin Delano Roosevelt para a presidência dos Estados Unidos, com um programa de recuperação econômica.
e) o crescimento eleitoral do Partido Nazista na Alemanha.

22. (Uel) O "crack" da Bolsa de Valores de Nova Iorque, em 1929, provocou falências de centenas de indústrias, de bancos, de companhias de comércio e de transportes e um desemprego em massa, que chegou a alcançar cerca de 15 milhões de trabalhadores nos Estados Unidos. No plano internacional, é correto afirmar que essa crise financeira
a) não afetou o desenvolvimento das economias dos países europeus.
b) contribuiu para ampliar a comercialização de matérias-primas dos países subdesenvolvidos.
c) não teve desdobramentos, já que era um fenômeno restrito aos Estados Unidos.
d) provocou graves consequências para os países que exportavam para os Estados Unidos.
e) teve repercussões apenas nos países que perderam a Primeira Guerra Mundial.

23. (Mackenzie) Tomei consciência pela primeira vez do problema do desemprego em 1929. Lembro-me do choque, do espanto que senti, quando pela primeira vez me misturei com vagabundos e mendigos, ao descobrir que uma boa parte, talvez uma quarta parte dessa gente, eram jovens e honestos contemplando seu destino: era como se nunca mais fossem ter a oportunidade de voltar a trabalhar. Nessas circunstâncias era inevitável, no início, que fossem perseguidos por um sentimento de degradação pessoal. (George Orwell)
A solução dessa crise econômica foi implementada por F.D. Roosevelt, que formulou um conjunto de medidas denominada de:
a) Plano Marshall.
b) Corolário Roosevelt.
c) Macartismo.
d) New Deal.
e) Estado Mínimo.

24. (Ufc) Ante a grande depressão de 1929, o economista John M. Keynes defendia o déficit público como uma forma de enfrentar a recessão. Nos Estados Unidos, o Presidente Franklin Roosevelt, a partir de 1930, financiou obras públicas a fim de diminuir o desemprego. A partir desse período, as mudanças na política econômica propiciaram:
a) a oposição do governo norte-americano ao desenvolvimento do intervencionismo na economia.
b) a intervenção do Estado na economia, como estratégia de ampliação do mercado de trabalho.
c) a consolidação dos grupos econômicos que impediam a intervenção estatal.
d) o fechamento do comércio europeu ao capital norte-americano.
e) a livre aplicação do capital pela iniciativa privada.

25. (Ufg) A crise de 1929 abalou os Estados Unidos. Em 1933, Franklin Delano Roosevelt foi eleito com o objetivo de recuperar o país por meio do programa conhecido como New Deal, que propunha
a) a defesa do isolacionismo e do planejamento econômico, por meio dos quais os Estados Unidos abdicavam do engajamento em questões internacionais.
b) a mudança do centro das decisões econômicas de Nova York, símbolo do poder dos grandes banqueiros, para Washington, sede do poder federal.
c) a redução das importações estadunidenses que afetaram os países dependentes de seu mercado, repatriando capitais norte-americanos.
d) a intervenção e o planejamento do Estado na economia, em quatro setores: agricultura, trabalho, segurança social e administração.
e) o conservadorismo em questões econômicas e na política externa, ampliando a "missão civilizadora" dos Estados Unidos.

26. (Ufsm) Considerando a crise do capitalismo liberal nos EUA, nas décadas de 1920 e 30, é possível afirmar:
a) A quebra da Bolsa de Valores de Nova York, em outubro de 1929, foi o fato gerador da crise de superprodução da economia norte-americana.
b) A produção industrial mantida num patamar elevado, sem que houvesse mercado consumidor, foi o elemento desencadeador da crise.
c) O crescimento econômico dos anos 20 aparelhou a agricultura e a indústria dos EUA, para enfrentar as crises decorrentes da retração do mercado.
d) A Bolsa de Valores de Nova York, ao longo da década de 1920, pautou seus negócios com objetividade, sem permitir especulações com o valor das ações.
e) A aspiração por enriquecimento rápido e fácil, comum na sociedade dos EUA, não colaborou para a quebra da Bolsa de Valores de Nova York.

27. (Ibmecrj) A crise que atingiu a Bolsa de Nova York, em 1929, serviu para demonstrar a crise do modelo liberal aplicado na economia norte-americana e para superá-la foi executado um programa que tinha como base:
a) A não-intervenção do Estado, objetivando dar ao mercado condições próprias de superação do grave momento econômico.
b) Uma política de investimento maciço em obras públicas, que ficou conhecido como "Aliança para o progresso".
c) Um conjunto de medidas intervencionistas que ficou conhecido como "New Deal".
d) A supressão de uma série de conquistas da classe trabalhadora, como o salário-mínimo, com a finalidade de facilitar a geração de empregos.
e) O rompimento dos acordos anteriormente firmados com o FMI, acordos que haviam sido assinados numa época de expansão econômica e que agora ficaram inviabilizados.

28. (Fuvest) O período entre as duas guerras mundiais (1919-1939) foi marcado por:
a) crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia e polarização ideológica entre fascismo e comunismo.
b) sucesso do capitalismo, do liberalismo e da democracia e coexistência fraterna entre fascismo e comunismo.
c) estagnação das economias socialista e capitalista e aliança entre os E.U.A. e a U.R.S.S. para deter o avanço fascista na Europa.
d) prosperidade das economias capitalista e socialista e aparecimento da guerra fria entre os E.U.A e a U.R.S.S.
e) coexistência pacífica entre os blocos americano e soviético e surgimento do capitalismo monopolista.

29. (Puc-rio) Entre o fim da Primeira Guerra Mundial (1918) e o início da Segunda (1939), as sociedades européias passaram por inúmeras transformações. Entre essas transformações, estão as citadas abaixo, À EXCEÇÃO DE:
a) A instabilidade econômica no decorrer dos anos 1930, em decorrência da internacionalização dos efeitos da quebra da bolsa de Nova York.
b) A inoperância da Liga das Nações, frente às pretensões expansionistas do Estado nazista.
c) O reconhecimento, por parte dos governos metropolitanos europeus, das reivindicações autonomistas de áreas coloniais na Ásia e na África.
d) A proliferação de críticas ao liberalismo político, materializadas na difusão de projetos autoritários.
e) O acirramento das disputas nacionalistas e de manifestações anti-semitas, estimulando, entre outros aspectos, a migração de grupos judeus.

30. (UFPE) Sobre a crise econômica de 1929 e sua relação com o liberalismo, assinale a alternativa correta.
a) A crise de 1929 foi provocada, sobretudo, pelo alto grau de desenvolvimento tecnológico, combinado à política liberal com base na ociosidade de capitais europeus do pós-guerra.
b) Baseados em uma política liberal, os empresários norte-americanos mantiveram o ritmo de produção que vinha sendo adotado durante a Primeira Guerra e o mercado internacional não respondeu às ofertas.
c) Para enfrentar a crise econômica de 1929, foi adotada a política liberal de empréstimos através da qual os países europeus mais ricos passaram a dar crédito aos Estados Unidos.
d) Com a crise de 1929, a política econômica liberal passou a ser desacreditada pelos empresários norte-americanos que passaram a apoiar uma política estatal intervencionista.
e) A política liberal adotada no período do pós-guerra dos EUA proibiu os empréstimos a juros e as especulações com ações, numa tentativa de frear a crise econômica, então, já prevista.

31. (Mack) No século passado, ocorreu a crise de 1929.
Assinale a alternativa que apresenta algumas das suas causas.
a) A superprodução de mercadorias e a saturação dos mercados consumidores.
b) O surgimento de ideologias, como o Fascismo e o Nazismo.
c) A diminuição do crédito bancário e o aumento de impostos para as importações.
d) O equilíbrio entre a produção agrícola e o comércio mundial.
e) A quebra da colheita e a demanda ilimitada da indústria automotiva.

32. (UNB) A Crise de 1929, com a queda da Bolsa de Nova York e a Grande Depressão nos EUA, começaram a ser superadas com a política do NEW DEAL (protecionismo alfandegário, subvenção às empresas privadas e aumento dos gastos públicos). Essa política representou um marco na passagem do:
a) capitalismo clássico, liberal e concorrencial para o capitalismo monopolista e estatal.
b) capitalismo monopolista e estatal para o capitalismo clássico, liberal e concorrencial.
c) capitalismo monopolista e estatal para o socialismo cooperativista.
d) do capitalismo clássico, liberal e concorrencial para o mercantilismo monopolista.
e) do capitalismo clássico, liberal e concorrencial para o capitalismo humanitário sem intervenção do Estado na economia.

33. (UTFPR) No período chamado de Entre Guerras, um acontecimento norte-americano alcançou repercussão mundial.  Trata-se da Quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque, em outubro de 1929. Foram causas dessa crise econômica:
a) intervenção do Estado na economia, contrariando o ideal do liberalismo, profundamente arraigado na cultura norte-americana.
b) retomada da produção européia, aumento do preço do petróleo no mercado internacional e redução do consumo interno.
c) explosão do consumo, aumento das taxas de juros e uma seqüência de nacionalizações de empresas estrangeiras.
d) aumento das exportações e dos preços dos produtos, sem que houvesse um aumento de produção de matérias-primas.
e) superprodução agrícola e industrial, diminuição nos níveis de exportação e queda nos preços no mercado interno.

34. (Ifsp) Em seu discurso de posse, em 1933, o presidente dos EUA, Franklin Delano Roosevelt, tentou encorajar seus compatriotas: “O único medo que devemos ter é do próprio temor.Uma multidão de cidadãos desempregados enfrenta o grave problema da subsistência e um número igualmente grande recebe pequeno salário pelo seu trabalho.Somente um otimista pode negar as realidades sombrias do momento.”
O problema que atemorizava os EUA, cujos efeitos foram desemprego e baixos salários, referido pelo presidente Roosevelt, era:
a) a Primeira Guerra Mundial, em que os EUA lutaram ao lado da Tríplice Entente contra a Tríplice Aliança, obtendo a vitória após três anos de combate. Entretanto, a vitória não trouxe crescimento econômico, mas, sim, desemprego e fome.
b) a Segunda Guerra Mundial, quando os norte-americanos lutaram ao lado dos Aliados contra o Eixo nazifascista. Embora vencedores, o ônus financeiro da guerra foi muito pesado.
c) a Guerra do Vietnã, quando os EUA apoiaram o Vietnã do Sul contra o avanço comunista do Vietnã do Norte , tendo gasto milhões de dólares em uma guerra infrutífera.
d) a depressão de 1929, causada pela existência de uma superprodução, acompanhada de um subconsumo, crise típica de um Estado Liberal.
e) a primeira Guerra do Golfo, quando o Iraque invadiu o Kuwait e os EUA , na defesa de seus interesses petrolíferos, invadiram o Iraque na defesa de seu pequeno estado aliado.

35. (Pucrs) Inicialmente favorecida pelas condições internacionais do pós-Primeira Guerra, a economia dos Estados Unidos conheceu um período de forte expansão e euforia nos anos 1920. Todavia, ao final dessa década, o país seria um dos focos da crise mundial de 1929 e da Grande Depressão que a seguiu. Um dos motivos dessa violenta reversão de expectativas foi
a) a falência das principais medidas estabilizadoras do New Deal.
b) a política antitruste determinada pela Sociedade das Nações.
c) a perda de mercados devido à descolonização afro-asiática.
d) a superprodução no setor primário dos Estados Unidos.
e) o crescimento da dívida norte-americana em relação às principais potências europeias.

36. (Ibmecrj) A crise que atingiu a Bolsa de Nova York, em 1929, serviu para demonstrar a crise do modelo liberal aplicado na economia norte-americana e para superá-la foi executado um programa que tinha como base:
a) A não-intervenção do Estado, objetivando dar ao mercado condições próprias de superação do grave momento econômico.
b) Uma política de investimento maciço em obras públicas, que ficou conhecido como "Aliança para o progresso".
c) Um conjunto de medidas intervencionistas que ficou conhecido como "New Deal".
d) A supressão de uma série de conquistas da classe trabalhadora, como o salário-mínimo, com a finalidade de facilitar a geração de empregos.
e) O rompimento dos acordos anteriormente firmados com o FMI, acordos que haviam sido assinados numa época de expansão econômica e que agora ficaram inviabilizados.

37. (UFAL) Sobre a Crise Capitalista de 1929, é correto afirmar:
A) a superprodução pouco influenciou a Crise de 1929. Nesta superprodução, houve um equilíbrio entre oferta e procura de modo a evitar a saturação do mercado.
B) o liberalismo econômico foi uma alternativa para a superação da Crise de 1929. O Estado, por não intervir na economia, permitiu que o próprio sistema capitalista regulasse naturalmente seu mercado.
C) a falência da Bolsa de Valores de Nova Iorque ocorreu exclusivamente pela falta de especulação financeira e alta valorização das ações, ocasionando, assim, uma superprodução.
D) o New Deal representava um conjunto de medidas proposto pelo presidente norte-americano Franklin Delano Roosevelt. Entre as diversas medidas, previam-se intervenções no mercado e incentivos para a criação de ofertas de empregos.
E) a relação entre oferta e procura não pode ser considerada como capaz de influenciar no mercado e variação de preços de ações, mercadorias e cambio monetário.

38. (Unitau-SP) O crack da Bolsa de valores de Nova Iorque, em outubro de 1929, além de colocar os Estados Unidos numa situação de calamidade, arrastou consigo quase todos os países do mundo Apenas um país europeu não foi diretamente afetado pela crise:
a) Itália
b) Inglaterra
c) França
d) Alemanha
e) União Soviética

GABARITO
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
A
B
A
D
B
B
C
D
E
A
B
B
E
B
D
C
A
D
C
B
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
C
D
D
B
D
B
C
A
C
B
A
A
E
D
D
C
D
E
-
-

4 comentários:

  1. Essas questões ajudaram bastante ! Obrigado !

    ResponderExcluir
  2. Muito bom ���� me ajudaram bastante a reforçar o conteúdo estudado ! Obrigado

    ResponderExcluir
  3. Ótimas questões, estão me ajudando muito a compreender melhor o conteúdo!! Obrigada

    ResponderExcluir
  4. Ótimas questões, estão me ajudando bastante a compreender melhor o conteúdo, obrigada!!

    ResponderExcluir